Artigos

 

IGUANA – GUIA RÁPIDO

Bem, não é novidade para ninguém que, apesar da proibida a  importação de répteis pelo órgãos tidos como protetores da fauna local, a chegada de animais exóticos no Brasil, incluindo répteis (a parte que me toca) tem se intensificado, inclusive alguns já intitularam o que esta acontecendo de “Iguanamania". Então, como cuidar de animais é o meu objetivo, independente da sua procedência ou autorização, aqui vão algumas dicas simples e práticas para que, ao adquirir sua iguana, você tenha sucesso em sua criação e manutenção. Daqui a algum tempo prometo algo mais detalhado, mas como o tempo não para e o momento é agora,  aqui vão algumas sugestões.

Como escolher uma iguana

No comercio tradicional a mai­oria das iguanas vem ainda "baby" ou "juvenis", alem do que, os pre­ços de animais adultos são bem mais salgados. A regra é: quanto mais desenvolvida, mais fácil de se manter em cativeiro. Atenção: isto não é uma regra isolada. Ob­serve também se o corpo dos fi­lhotes está redondo, roliço, se a base da cauda não deixa trans­parecer ossos (isso é mau!), se os olhos estão vivos e , principalmen­te, se olham para você quando de sua aproximação. Descarte os ani­mais que não estão espertos, ou seja, que não prestam atenção nos seus movimentos. Olhos fechados indicam cansaço, stress, doença. Não escolha iguanas com um ou os dois olhos fechados. Nunca bata no vidro ao se aproximar, isso só assustara os filhotes e você perde­rá os parâmetros, pois a maioria agora ficara alerta e até correrá de você. Isso não é interessante.

Pergunte ao lojista se você pode experimentar colocar comi­da para ver se elas comem. Peça gentilmente, pois este favor ajuda­rá a descobrir os animais mais es­pertos. Caso ele não permita, não se zangue, você perdeu apenas um parâmetro para análise. Utilize os outros.

Outra coisa: iguanas aglo­merados competem pelos lugares mais quentinhos. As mais fortes podem geralmente estar mais pró­ximas da luz aquecedora, observe também a integridade física exter­na: manchas escuras ou averme­lhadas no ventre e no resto do cor­po não são desejáveis, bem como ausência de escamas em algumas parte do corpo.

Machucados não são desejáveis. Em hipótese algu­ma deixe de observar os dedos. Só leve animais intactos. Ao observar a parte externa (o que é possível) podemos inferir sobre o aspecto interno (o que é invisível aos olhos). É sempre mais difícil ha­ver traumas internos quando a par­te externa se mostra intacta.

Outro detalhe: se você deseja um animal para pet, obrigatoria­mente este animal deve ser man­so. Vamos discorrer um pouco so­bre o assunto. Um filhote alerta é sempre desejável, pois na nature­za ele são facilmente caçados por predadores, por isso devem ser ati­vos e assustados até, mas animais que se desesperam como lagarti­xas a qualquer movimento, podem ficar ariscos e até agressivos ao crescerem.
O manejo contínuo ajuda a diminuir o medo natural, acostumando-os a sua nova con­vivência, mas você deve se lem­brar que animais também possu­em características individuais. Uma iguana nunca será igual a outra. Isto é natural, compreen­sível e facilmente observado. Caso você duvide basta começar a criar animais da mesma espécie por algum tempo.

Quarentena e Aclimatação

 É fundamental o isolamento de animais recém - adquiridos para evitar contágios aos outros animais do seu plantel. Iguanas podem ter ácaros e fatalmente terão parasi­tas internos.
Cheque as fezes, sua quantidade e consistência e procu­re um veterinário especializado em répteis para processar um exame de fezes e assim poder medicar seu animal neste intervalo de tempo.
 Toda a manipulação com o ani­mal neste período deve se restrin­gir ao que for criticamente neces­sário.
É época de quarentena e acli­matação, logo o manejo ainda não é desejável, portanto, tenha um
pouco mais de paciência, pois com o tempo você será recompensado.

O material básico para a quarentena e aclimatação será listado abaixo:

Substrato - Jornal. Folhas de jornal podem ser facilmente tro­cadas sempre que sujarem, pois seu custo é relativamente zero. Num caso de quarentena, é essen­cial observarmos a forma das fe­zes, sendo o jornal ideal para este tipo de análise.
Sistema de aquecimento - Lâm­padas para a termorregulação são vendidas em lojas especializadas e tem custo relativamente baixo, sendo fundamentais para a corre­ta manutenção de sua iguana, pois assim ela terá um ponto de calor para que possa satisfazer as suas necessidades térmicas durante o dia e a noite. Para isto deve-se ad­quirir lâmpadas que também pos­sam ficar ligadas a noite sem ilu­minar o terrário, como por exem­plo, as nightlight e ceramic hea­ter, ideais para este fim.

Você também pode usar como fonte de calor secundário as pedras aquecedoras, chamadas no comér­cio de hot rocks, que ajudarão no processo de digestão (da mesma forma que as lâmpadas emissoras de calor o farão). Tenha cuidado para que estas pedras não esquen­tem muito acima do desejável, observando sempre com a palmada mão sua temperatura, que, se estiver adequada não o forçará a tirar sua mão da mesma.
No caso de dúvi­das, enrole-a com uma toalha.

Também pode-se utilizar os heat pads, que são almofadas aquecedoras instaladas por fora, embaixo do terrário. Elas aquecem o ar ambiente e ajudam a manter a umidade em níveis aceitáveis.

Iluminação - É fundamental a instalação de uma boa lâmpada emissora de raios ultravioleta. As igua­nas jovens possuem um ritmo de crescimento onde é necessário que haja uma boa fixação do cálcio ós­seo.
 Se voce quer evitar problemas de saúde, procu­re optar por comprar uma lâmpada em uma casa es­pecializada em terrariofilia.

Água - Uma vasilha rasa de água limpa e sempre fresca é o ideal. Sua presença é necessária para au­mentar a umidade do ambiente, especialmente no caso de se albergar lagartos provenientes de florestas equa­toriais. Na natureza estes animais extraem água dos vegetais ingeridos e de gotas de orvalho e de chuva que ficam nas folhas das árvores. Você deve borrifar diariamente sua iguana de forma que ela possa ter acesso a constante hidratação. Ajuste o spray para que se formem partículas bem pequenas, e use-o di­retamente ou acima do corpo de seu bichinho, dei­xando as gotículas caírem lentamente sobre ele.

Tronco para basking - O basking ou termorregulação  é um comportamento vital para iguanas, por­tanto providencie um tronco largo e fixe-o, evitando acidentes. Em uma das extremidades e acima do tron­co você deve focar uma lâmpada de 60 a 100 watts (dependendo do tamanho do terrário e da fase de vida do seu animal). As temperaturas devem seguir a fór­mula abaixo:

Temperatura do terrário (parte com aquecimento); Temperatura do terrário (parte sem aquecimento); Temperatura do ponto de basking.
É fundamental que em um ponto do terrário haja uma temperatura mais alta que do restante dele, onde deve ficar a sombra e abrigo térmico, para que sua iguana tenha sempre opção para termorregular.
Alimentação
Outro assunto fundamental é a nutrição dos filho­tes de iguana, que deve ser feita á base de verduras e frutas, dando-se ênfase aos vegetais ricos em cálcio, por exemplo: Couve-de-bruxelas, chicória, salsão, manga, figos, mamões, etc.. Pode-se observar a apli­cação periódica de suplementos vitamínico - mine­rais, de modo a enriquecer a alimentação de seu ani­mal.
Maiores detalhes á respeito desse assunto virão em publicações posteriores, mas a dica é a seguinte: variar o máximo possível os itens de alimentação, fornecendo no mínimo quatro itens por dieta, e, sen­do filhote de iguana, utilize o liqüidificador ou mix, por dois motivos: primeiro, o animal não poderá ali­mentar-se seletivamente, alterando significativamente os índices de absorção de nutrientes, ou seja, seu ani­mal deve comer o que lhe faz bem, mas nem sempre so o que ele gosta e o mais nutritivo. Segundo, para animais pequenos como a iguana "baby" e necessário­ utilizar verduras quase moídas, de forma que não haja dificuldade de apreensão e nem de ingestão do alimento.
 Mais tarde, quando os animais crescerem, basta uma faca para cortar em pedaços pequenos (eu costumo dizer que iguanas adultas podem comer com faca).

Este pequeno texto de forma alguma vai esclare­cer todas as dúvidas, pretendendo apenas fornecer informações emergenciais e objetivas/práticas para que você que a comprou sua iguaninha possa ter uma experiência agradável quanto ao primeiro contato com répteis, principalmente por ser a iguana um ani­mal com um grande potencial para se tornar um grande­ companheiro e pela experiência sem par que é ter um réptil como companhia, não apenas biologicamente falando, mas também no nível interativo e social.

Ademar Luiz G. do Couto